Antigamente fazer manobra era algo que exigia muito esforço físico pois a direção era pesada e, dependendo da vaga, muitos motoristas desistiam da vaga e partiam para outra devido aos esforços requeridos para estacionar.

Com o tempo, as montadores foram descobrindo várias maneiras de otimizar a experiência e uma delas foi a direção hidráulica. Mas a força da inovação não para e com o tempo chegou a direção elétrica.

Você sabe tudo de direção elétrica x hidráulica? Aprenda no texto abaixo a diferença entre elas e como fazer manutenção correta.

Direção elétrica x hidráulica

Tanto a elétrica quanto a hidráulica são macias para quem dirige e na prática, para o motorista, a diferença não é grande. Ambas garantem leveza no volante e auxiliam os motoristas das grandes metrópoles no trânsito.

A grande diferença entre os dois tipos está no funcionamento. A direção hidráulica tem uma bomba que injeta óleo na caixa de direção e a direção elétrica é um motor elétrico fixado junto à caixa de direção que torna a direção mais leve.

Direção hidráulica

Conhecida antigamente como direção assistida, este modelo se popularizou em caminhões. Não demorou muito para as montadores inserirem nos carros menores e virou assim um item essencial no momento de decisão de compra. o funcionamento é bastante simples.

Composto por um reservatório de óleo e uma bomba hidráulica, este sistema, através do bombeamento de óleo, no momento da manobra faz pressão e empurra a direção de um lado para o outro. Reduz em até 80% do esforço do motorista, quando comparado a uma mesma manobra sem direção hidráulica.

Por ser um sistema que depende de óleo, é fundamental que ocorra a troca do mesmo. Sem essa troca a direção pode travar e ficar impossível de dirigir o veículo. Além da troca do óleo, conforme indicação de cada fabricante é preciso ficar atento a vazamentos, que podem ser corrigidos apenas por especialistas.

Direção elétrica

Ao contrário da anterior, a direção elétrica não precisa de óleo pois possui um sistema independente do motor. O sistema é composto por um motor elétrico junto à caixa de direção que a torna mais leve.

Outra diferença em relação à hidráulica é a economia de combustível. É cerca de 5% mais econômico pois o sistema não depende do motor do carro. Praticamente não precisa de manutenção o que, aliado à economia de combustível, torna este modelo, apesar de mais caro, uma escolha mais interessante para o longo prazo. Por não precisar de trocas de óleo é um diferencial no quesito sustentabilidade.

Terceira via: eletrohidráulica

Neste caso, o sistema é híbrido e apresenta configuração semelhante ao sistema de direção hidráulica trocando apenas a bomba hidráulica pelo motor elétrico. Continua existindo o óleo e correias, os quais requerem atenção.

Manutenção

Como qualquer parte de um veículo, ambos os sistemas necessitam de manutenção regular. O sistema elétrico requer  pouca manutenção e caso haja uma pane, você ainda continua com o controle do carro, apesar da direção ficar dura. Os custos para reparar este tipo de direção são mais elevados comparados ao modelo hidráulico.

Já o sistema hidráulico, por ser mais complexo, sua manutenção envolve troca de correias, atenção aos níveis de óleo e preocupação com vazamentos. Na revisão anual do veículo, a oficina fará a troca de peças caso necessário.

E ai, já se decidiu? Direção elétrica ou hidráulica? Na prática não sentirá diferença alguma entre elas, mas, com o tempo a direção elétrica se provará mais econômica ainda que necessite de um investimento maior, além de ser mais sustentável. Agora que já conhece mais um pouco sobre ambos os sistemas já fica mais fácil de escolher na hora da escolha direção elétrica x hidráulica.

Conheça também algumas dias na hora de comprar seu carro e as vantagens de comprar em uma revenda de seminovos.